sexta-feira, 14 de agosto de 2009

BEIJO GREGO


Antes de qualquer coisa, vamos à origem. Pesquisei a fundo, afinal, não vou apenas falar que é um beijo naquele lugar, isso todo mundo já sabe.

Mas nada como um pouco de cultura... Nem que seja inútil.

Sabemos que a homossexualidade era motivo de orgulho na Grécia antiga, afinal homens eram seres dotados de força e poder e mulheres, fracas e parideiras. Então, ter relações sexuais com um homem era um ato de honra. Ainda mais quando um mestre, professor ou superior é que era o ativo.

E claro, dessas trocas de “privilégios”, um oral aqui, um 69 ali, alguém foi além do saco escrotal e chegou na região do ânus. Afinal, na hora do tesão, você nem sabe o que está fazendo mesmo.

E nisso, descobriu-se que a zona do ânus também não deixa de ser uma zona “beijável”.

Beijo grego não é dar beijinhos, é o ato de fazer carinho com a boca, pode ser em forma de lambida, mordidelas, beijinhos, mas com carinho.

Tanto o homem como a mulher pode sentir prazer, a região genital é muito vascularizada e qualquer toque ao redor, seja nas coxas, virilha, ânus, nádegas, dá tesão. No ânus então...

Para quem gosta muito desta prática, lembre-se de que a higiene é fundamental. Deixe seu parceiro sentir prazer e não o contrário.

Muitos homens não fazem nem admitam que façam neles, os homens de hoje não gostam de serem comparados com os gregos antigos. Por isso, antes de fazer, chegue com cuidado. O mesmo para os homens em relação à mulher, umas não gostam da sensação.

Um comentário: