quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Sexo, Vinho e Chocolate

Pesquisas realizadas por especialistas da Faculdade de Medicina da Universidade Harvard mostram que há uma série de coisas muito prazerosas que são, também, muito benéficas à saúde.

Sexo, vinho e chocolate estão na lista dos prazeres recomendados para uma vida mais saudável.

Confira os efeitos saudáveis que cadaum proporciona:

Sexo

Pesquisas sugerem que ter relações sexuais pelo menos duas vezes por semana reduz o risco de ataques cardíacos e favorece o sistema imunológico do organismo. Quanto à chance de um homem ter um infarto durante a relação sexual, ela é uma em um milhão.

Fazer sexo também aumenta o metabolismo: o esforço cardiovascular realizado durante a relação é similar ao de subir dois andares de escada, por exemplo. O orgasmo corresponde à carga de exercícios de uma caminhada.

Vinho

NokaDezenas de estudos têm demonstrado que o consumo moderado de álcool tem efeito protetor contra doenças do coração. O álcool aumenta o colesterol “bom” (HDL), diminui os fatores que podem causar coágulos sanguíneos e pode tornar as artérias mais flexíveis. Um estudo de 2008, feito na Europa, mostrou que o consumo de álcool também está associado a maiores níveis de ômega 3 no sangue.

O consumo excessivo, porém, tem efeito contrário, podendo, entre outras coisas, aumentar o nível de triglicérides no sangue e a pressão arterial, provocar derrames etc. O critério para beber com moderação é, em geral, definido pelos limites de uma a duas doses de bebida para homens e uma dose para mulheres, por dia.

Chocolate

O chocolate melhora o fluxo de sangue nas artérias do coração e do cérebro. Há evidências mostrando a associação entre o consumo de chocolate amargo e menores níveis de uma substância no sangue que sinaliza inflamações.

A explicação mais aceita para os efeitos benéficos do chocolate é que o cacau contém substâncias chamadas flavonóides que, no organismo, estimulam a produção de outras substâncias químicas que relaxam os vasos sanguíneos.

No entanto, o processamento do cacau retira a maior parte dos flavonóides do alimento. O chocolate amargo e com maior porcentagem de cacau é o que produz os efeitos benéficos. Mas é bom lembrar que o alimento é bastante calórico e o consumo excessivo pode levar ao aumento do peso e à obesidade, que são bastante prejudiciais ao coração.

Combinando os três fatores

Sexo e chocolate é fácil de combinar, sexo e vinho também é uma combinação clássica, mas como combinar vinho e chocolate?

Embora de difícil harmonização, a combinação de vinho com chocolate pode resultar em agradáveis surpresas. O que causa toda a dificuldade nessa compatibilização é a textura do chocolate, que tende a grudar no céu da boca dificultando a percepção das características do vinho pelas papilas gustativas. Isso faz com que a sobremesa de chocolate passe por cima do vinho. Por isso, quando se trata de chocolate, o vinho para acompanhar deve ter um bom corpo e boa untuosidade, além de acidez e álcool para possibilitar a compatibilização e equilibrar a harmonização.

Além da escolha do vinho certo é preciso escolher o chocolate certo, um fabricante de chocolates se especializou em desenvolver chocolates especiais que harmonizam com variados vinhos.

Cada chocolate da BRIX, segundo o próprio fabricante, tem uma indicação de harmonização com um tipo de vinho, variando de acordo com o nível de cacau do produto. Por exemplo, o Milk Chocolate (45% de cacau) é adequado para tintos leves e vinhos de sobremesa (Pinot Noir, Eiswein e Porto). Já o Medium (60% de cacau) vai melhor com vinhos elaborados com Syrah e Zinfandel. O Dark (70% de cacau), por sua vez, harmoniza-se bem com tintos encorpados, como alguns Bordeaux e o Barolo.

Um comentário: